docentes

Papel ampliado

Como as mudanças no modelo formativo impactam na preparação de docentes nos dias de hoje

Considerando a figura do professor como um dos pilares do processo de Educação, é importante notar que, por muito tempo, a lente do ensino ocupou papel de destaque nos processos formativos.

Historicamente, como bem apresenta o pesquisador canadense Maurice Tardif, os saberes disciplinares e curriculares ditavam os modelos formativos, onde tudo era para todos, com a relação: problemas genéricos, com soluções padrão.

“Hoje, nosso olhar se ampliou, passamos a enxergar como o professor aprende e, com isso, os saberes experienciais ganham lugar de destaque no cenário da formação continuada unindo-se aos demais saberes”, explica a gerente Educacional Confessional da FTD Educação, Elaine Castello.

Esse processo, complementa, impulsionou o desenvolvimento de um diálogo crítico e criativo com a docência, para garantir espaços ao protagonismo e, principalmente, para as intencionalidades pedagógicas, por meio de soluções educacionais.

“Os consultores caminham ao lado de professores e gestores, em posição de igualdade e de colaboração; apoiamos as equipes no diagnóstico dos obstáculos, e criamos espaços formativos onde participamos mediando e refletindo sobre as práticas”, pontua.

 

ENCARAR OBSTÁCULOS

 

Em um mundo em constante transformação, agora acentuada pelos efeitos do isolamento social, a especialista enumera questões e barreiras que estão no foco da atuação dessas dinâmicas de formação, com o objetivo de serem superadas.

Dentre os desafios, está a própria presença dos consultores atuando de forma significativa nesse novo ambiente – antes presencial e, agora, mediados por tecnologias digitais.

E esse enfoque suscita, ainda, outros pilares de aprendizagem nessa jornada formativa, onde se criam espaços para reflexão sobre os processos metodológicos em discussões como, por exemplo, o uso da tecnologia em dinâmicas como: a aprendizagem desses docentes, as suas ações no dia a dia de atividades e, é claro, o aprendizado dos estudantes.

 

NOVA CULTURA FORMATIVA

 

“O contexto da pandemia nos apresentou como pauta prioritária a possibilidade de uma nova cultura formativa, com espaço para a criação de redes de inovação, comunidades de práticas educativas e comunicação entre o professorado, com intercâmbio de experiências e reflexões sobre a prática e com foco na realidade educacional”, explica a gerente. Esses conteúdos versam sobre os saberes experienciais e são atendidos pelo plano de atendimento anual da FTD Educação.

E é a tecnologia digital que ancora esse ecossistema de aprendizagem, em iniciativa como as webséries; cursos EAD; seminários internacionais; encontros pensados para a gestão, coordenação e docentes. “São ações para todos e têm sempre o objetivo de ampliar o repertório docente acerca dos saberes disciplinares e curriculares”, finaliza.

 

3 MOMENTOS CENTRAIS NOS PROCESSOS METODOLÓGICOS DE FORMAÇÃO

 

  • Como o professor aprende, mediado pela tecnologia.
  • Como o professor promove a aprendizagem, utilizando recursos tecnológicos.
  • Como os estudantes aprendem por meio da interação com a tecnologia digital.

 

Mais informações em: http://digital.ftd.com.br/conheca-professores-capacitacao.php